CAMINHANDO E CANTANDO LÁLÁ-LÁ-LÁ-LÁ

20 05 2011

Olá para você que gosta do blog, ou que não gosta, ou que entrou pela primeira vez, ou que tanto faz,,,

Neste dia bonito e calorento, decidi falar de nossos amigos mortos, mas só os que ainda estão vivos.

Mas não vou falar do Walking Dead série de TV, que é bem diferente do HQ.

A série televisiva ficou boa? A meu ver, sim, mas apenas boa. O final é fraco.

Agora, voltando ao objetivo inicial do meu curto post, MER’MÃO, o HQ é muito bom!

A trama é muito bem arranjada, a construção dos personagens é muito bem feita. Todos os personagens, realmente, têm sua importância dentro da história e mais um monte de coisas que minha dislexia nãome permite lembrar.

O negócio é tão bom que eu demorei um pouco mais de uma ou duas semanas para ler todas as 79 edições lançadas até a época.

 Hoje, estamos na 84, se eu não me engano, portanto, deixe sua preguiça sedentária de lado e leia essa série.

Não me venha com mimimi de: “Ahhh, eu não sei ler inglês”, procura na internet que tem em português. TE VIRA MALUCO.

A única coisa ruim é: ELA É MENSAL.

 

Obs: noto que cada vez meus posts são mais curtos. Se continuar assim, em breve, meus posts se resumirão a apenas uma palavra! DAÓRA!





MINHA CONTA DE LUZ ESTÁ ALTA!!

13 05 2011


Olá para você,

Hoje, após um longo tempo de um mix de preguiça e falta de criatividade e assunto e vontade e tempo e vento a favor e vício em PW, volto a postar nesse altamente frequentado blog, cheio de pessoa bonitas, elegantes, carinhosas e por dentro das novas novidades da vida globalizada dessas metrópoles brasileiras do Brasil.
Ahhhhh, gostaram do meu parágrafo de introdução né? Super charmoso, com redundâncias e prolixo. LINDO!
Mas o que move minhas forças hoje, nesta sexta-feira de lindo sol brilhante e quente aqui em nossa redação, é que desejo falar, para os mais interessados em música, sobre o albúm novo do Foo Fighters, o, se me lembro bem, Wasting Light.
Ao mesmo tempo em que desejo escrever sobre o albúm, me pergunto: “Por que as pessoas insistem em ter blogs que não têm a quantidade imensa de visitantes igual este blog?”
Confabulo com minha mente em busca dessa resposta, quase tão importante quanto a pergunta fundamental da vida, do universo e tudo mais.
Tão simples como a resposta à pergunta fundamental da vida, do universo e tudo mais é 42, lhe digo que a resposta a minha dúvida é simples, mas você não vai querer saber, portanto, vou guardá-la para mim.
Agora, voltando ao Uêistim Laiti, o álbum é muito bom.

Tchau pra você, leitor.

Rafael Padovan.





Mcluhan, e umas teorias ai…

31 03 2011

Terça-Feira, 29 de Março de 2011, a professora começa a aula de Semiótica com uma pergunta: Quem já ouviu falar em “O meio é a Mensagem ou o termo Aldeia Global”? Eu já tinha ouvido esses termos antes, mas não lembrava os conceitos, acho que não teve tanto impacto anteriormente; pois bem, ela começou a explicar que esse tal de McLuhan (que por acaso faria 100 anos esse ano) teve umas idéias malucas (bem, não tão malucas assim) de estudar os meios de comunicação e os impactos que esses meios têm na formação cultural do homem, na sua época falava-se de rádio e televisão.
Atualmente (de uns anos pra cá) o modo de comunicação do homem ganhou uma nova influência, uma nova forma, ai podemos observar a teoria desse cara na prática, quando falamos de internet e em tudo que ela nos proporciona.
O mundo está totalmente conectado e ao mesmo tempo as pessoas se vêem cada vez mais distantes das relações pessoais (carnais). Existem pessoas que condicionam sua vida pela máquina, pela internet, e não vivem sem isso, e isso não existia até poucos anos atrás.
Não estou fazendo apologia a que esse fato seja ruim, estou simplesmente fazendo uma análise, eu mesmo sou uma dessas pessoas que passa a maior parte de seus dias em frente a um computador… o que eu quero analisar/expressar é: até que ponto a internet influencia no nosso modo de vida?
McLuhan acreditava que os meios de comunicação tinham influência direta na vida das pessoas e eu concordo com ele, somos a geração da informação. Hoje em dia tudo acontece muito rápido, tudo é veiculado muito rápido e esquecido mais rápido ainda. E temos ainda na internet uma ferramenta de armazenamento, se você não assistir ao jornal por exemplo, você tem a possibilidade de assistir depois no site da própria emissora ou em sites de armazenamento de vídeo (e não são somente vídeos mas também textos, músicas e todo tipo de informação).
E existe também outro aspecto a ser considerado, mas esse só no próximo texto.
A deixa eu me apresentar, Joyce, estudante de RTV, 23 anos,sarcástica, cheia de preceitos e conceitos e sem pretensões (hihihihi).





Divagação/ Meu Malvado Favorito é o Megamente =)

30 03 2011

Olá amigo leitor!
Aqui novamente quem vos fala é o Eduardo, insistindo no erro de acreditar na possibilidade de existirem pessoas tão desocupadas a ponto de se darem o luxo de perder alguns minutos diariamente vindo até esse blog para manterem-se informados sobre as novidades da cultura inútil e coisas cotidianas.
O único problema é que hoje, apesar de meu enorme desejo de conseguir escrever algo divertido e útil (?), estou totalmente sem idéias. Dessa forma irei parar e pensar se consigo ter alguma iluminação repentina para continuar com minha disertação. (na realidade até esse exato momento só tinha mesmo a idéia de como seria esse parágrafo introdutório ao post de hoje).
Agora sim, um tempinho depois consegui ter uma idéia para o post de hoje! (na realidade minha esposa me ajudou).
Vocês tem assistido filmes ultimamente? Ou desenhos? Não? Pois saiba que tem perdido ótimos lançamentos (em DVDS), como Toy Story 3, Shrek Para Sempre, UP! Aventuras em Alta, Meu Malvado Favorito e Megamente!
Irei falar um pouco mais sobre esses dois últimos, que são extremamente engraçados!

Meu Malvado favorito conta a história de um cara que tem a idéia fixa de ser o maior vilão do mundo; Para isso ele conta com a ajuda de uns bichinhos amarelos (que em minha opinião são a melhor coisa do filme) e um novo plano: Roubar a LUA!!!
Eu não vou contar mais nada sobre a história em si, só adiantarei que durante o filme:
– Ele adota tres crianças lindas;
– Ele vai ficando bonzinho;
– Você fica com dó dele;
– Os bichinhos amarelos sao demais, a melhor coisa do filme (e dou risadas até hoje só de lembrar deles).

Megamente é outro desenho engraçado, mas que lembra muito Os Incríveis. Conta a história do Tal do Megamente, um super vilão que tem como inimigo número 1 o Metroman, Super-herói símbolo da cidade Metrocity. Até ai você me diz: – Tá, e qual a diferença para qualquer outra história de super-herói? Heis que lhe digo: – A diferença é que nesse filme (ou desenho, como preferir) o vilão derrota o Herói! E aí o filme fica interessante, pois começa a mostrar o quão chata e sem sentido se torna a vida do Megamente, pois de que adianta um super vilão cheio de planos e idéias malvadas e mirabolantes se não existe nenhum herói para impedi-lo?

Minha dica é: Assista os dois! Ambos são muito bons!
Então é isso, até a próxima.
Att. Eduardo Ferreira





A Batalha do Apocalipse

16 03 2011

Olá amigo leitor.
Aqui quem vos escreve novamente é o Eduardo, insistindo no erro de acreditar que realmente existem leitores que não tenham pretensão alguma de achar algo de útil nesse blog.
Hoje irei falar novamente sobre um livro que li recentemente (só esse ano já li 11 livros, sendo que atualmente estou lendo dois livros. Boa média não?): A Batalha do Apocalipse, de Autoria do meu xará Eduardo Spohr.
Tomei conhecimento do livro após um colega de empresa indica-lo durante uma conversa no táxi sobre a obra do Tolkien (Senhor dos Anéis). Eu já havia visto o livro em livrarias, porém acreditava que se tratava de uma obra lançada para aproveitar a onda Percy Jackson, por conta de o título ser mais ou menos parecido com os títulos deste. E antes mesmo que eu pensasse em comprá-lo minha esposa me deu de presente (pois comentei com ela o que haviam me adiantado da história).
A idéia geral do livro é ótima e plenamente plausível. Diz que Deus criou todo o universo em 6 dias e no 7º dia descansou, porém esclarece que na realidade cada “dia” de Deus é o equivalente a milhares de “dias” humanos. Dessa Forma, o tal sétimo dia de Deus (O dia do descanso) se passa exatamente nesse período em que vivemos, o que explicaria em tese as súplicas e lamentações de todos, alegando que se Deus existe o mundo não teria tanto sofrimento. Oras, claro que ele existe, mas ele está em descanso! E nesse tempo o poder fica nas mãos dos Arcanjos: Rafael, Gabriel, Uziel, Miguel e Lúcifer, ajudados por anjos e querubins.
Ocorre que o Arcanjo Miguel tem ciúmes da raça humana, por conta que temos o que foi negado aos anjos: O Livre Arbítrio. Sendo assim Miguel (Considerado o Príncipe dos Arcanjos) ordena a destruição da raça humana, apoiado por outros Anjos e Arcanjos que desconheciam suas reais intenções. Porém Ablon, um general alado, e mais 17 anjos revoltosos fazem oposição a ele, aliando-se a Lúcifer (por conta do poderio que a aliança com um Arcanjo traria a revolta) na esperança de salvar a espécie humana.
Porém Lúcifer traiu os revoltosos, denunciando a trama ao Arcanjo Miguel, que expulsou os 18 Anjos do Céu para a Terra.
O livro então trata da vida de Ablon na terra, suas aventuras e suas ações para retornar ao Céu e impedir o Armageddon que está próximo.
== Pontos Positivos==
– O livro é bem legal e envolvente, depois que a leitura engrena (lá pela página 30) é muito difícil encostar ele ou não ter vontade de continuar;
– O livro é 100% nacional, e sempre é legal saber que existem Autores nacionais de literatura fantástica [Caso se interesse pelo tema, outros ótimos Autores são Marcelo Cassaro (Espada da Galáxia) e Leonel Caldela (Inimigo do Mundo, O Crânio e o Corvo e o Terceiro Deus)];
– O Autor tem um estilo de escrita que faz a leitura fluir facilmente, não permitindo que as mais de 500 páginas do livro tornem-se um empecilho para o desenrolar da história;
– O Autor separou o livro em muitos capítulos, quebrando muito oportunamente o ritmo de leitura, indicando acertadamente onde iria alterar o foco da trama. Para leitores como eu, que normalmente possuem pouco tempo seguido para ler, isso é ótimo, pois podemos interromper a leitura seguidas vezes sem atrapalhar o entendimento da história.
== Pontos Negativos ==
– O Autor se complica em algumas passagens, hora narrando em primeira pessoa, hora narrando em terceira. Às vezes também repete por demais alguma idéia, tornando a passagem chata (Enoque, a primeira e última… quem leu entenderá);
– O Autor também parece ter idéias a mil durante o livro, e coloca muitas delas no livro, e acaba um pouco perdido para amarrar tomas as tramas até o final, bem como sente-se na obrigação de explicar cada mínimo detalhe da história, fazendo diversos adendos que acabam quebrando o ritmo da leitura;
– No final do livro existe um glossário totalmente descartável. O Autor repete nele as mesmas informações que deu no livro (Acho que ele queria muito que o livro fosse parecido com Senhor dos Anéis e seu Glossário rico em informações, e não conseguiu adicionar informações o bastante nele);
– O final do Livro é extremamente clichê. Extremamente mesmo. Considerei o final do livro o penúltimo capítulo. O último é totalmente descartável.
Resumidamente:
O livro é muito bom. Se você é fã da obra de J.R.R. Tolkien, J.K. Rowling, Phillip K. Pullman, C.S. Lewis e Neil Gaiman certamente irá gostar desse livro. Se não é fã, leia mesmo assim e ajude a fomentar indústria cultural Brasileira.
Bem é isso.
Até o próximo post.
Att, Eduardo Ferreira





Satisfações

10 03 2011

Olá caro leitor (sim, no singular).
Sei que você é o único que comparece a esse wordpress, sedento de novidades e teve uma grande tristeza ao ver que o mesmo não era atualizado desde a sexta-feira de carnaval. Mas cá estou para expor os motivos de nossa equipe para esse lapso tão grande de informações e cultura (IN)util.
Era carnaval oras! Estavamos bebendo e nos divertindo em nossa ilha particular no arquipélago de Fernando de Noronha, de onde postamos via wireless. Ontem, quarta-feira de cinzas, tiramos o dia para nos recuperar e reestabelecer o equilíbrio de nossos rins, figados e pulmões, e hoje estamos prontos pra mais uma semana de trabalho (afinal são só dois dias, nem é tão difícil assim).
Segue a seguir um novo post do Eduardo, para acalmar nosso exaltado leitor.
Equipe Sem Pretensões WordPress





Apresentações

1 03 2011

Olá, eu sou o Rafael e vou postar aqui de vez em quando.Eu sou graduado em Letras (Português/Inglês) mas, isso não significa nada. Ser graduado não significa que terei razão no que escreverei e que não escreverei besteiras. Acredite, escrever besteira é o que mais farei. Acredito que, inicialmente, não tenho mais o que acrescentar
att. Rafael Padovan

==============================

Aqui quem vos digita com muita pompa e pouco conteúdo é o Eduardo. Irei de tempos em tempos escrever aqui (principalmente quando me sentir entediado demais para executar alguma outra tarefa, como trabalhar por exemplo). Estou matriculado em Administração Geral, porém meu maior interesse reside em ler e me aprofundar em literatura, quadrinhos, séries e mangas, sendo o ramo que mais aprecio o da Ficção Científica e Literatura Fantástica (ou como meu pai bem ilustra, coisas que não existem). Quando surgir um novo momento de tédio criativo retornarei aqui para postar algo de útil (ou não).
att. Eduardo Ferreira