Harry Potter =)

4 05 2011

E ai galera, como estamos?
Eu Eduardo continuo aqui firme e forte na tentativa de continuar a postar aqui minhas opiniões a vocês. Admito que estamos meio ociosos ultimamente, mas é porque realmente está complicado conseguir tempo e, principalmente, assunto para tanto.
Então vamos lá, hoje irei falar novamente sobre Livros que eu tenho lido, e consequentemente sobre filmes.
O Tema do post de hoje é o bruxinho mais amado e odiado dos últimos tempos, Harry Potter!
Estou relendo os livros do harry potter (sim, relendo, já li eles umas 5 vezes pelo menos). E se você (assim como grande parte dos leitores) acha que Harry Potter e ruim, eu te digo: Não, não é! Mas não adianta ler acreditando que vai encontrar ali uma profundidade de personagens ou de história digna de um Tolkien da vida porque ai sim você irá se decepcionar. Se você ler ele (assim como eu estou fazendo) sem pretensão nenhuma além de um bom passatempo, você irá se divertir bastante! Isso porque os livros têm uma leitura bem linear, letras grandes e palavras de fácil entendimento (não tem como você travar na leitura por não entender algo). Fora que a leitura é bem rápida (em 12 horas de leitura não seguidas li mais ou menos mil páginas – 3 livros). Estou atualmente lendo o 4 livro (O Cálice de fogo) e vou fazer alguns comentários sobre os três livros iniciais e os Três filmes iniciais, comparano os mesmos para fazer você entender que, se você gostou dos filmes, então LEIA OS LIVROS PORQUE SÃO MIL VEZES MELHORES!!!

1 – Harry Potter e a Pedra Filosofal:
Livro: nesse livro somos apresentados ao universo bruxo e aos personagens principais desle (Harry, Rony e Hermione). Somos apresentados a toda história triste de Harry e a sua difícil convivência com seus parentes trouxas (aqueles que não são mágicos) e ao seu inimigo mortal: Voldemort!
Com o desenrolar da história percebemos que o livro tem uma dinâmica muito grande e você não fica entediado em nenhum momento, pois não existem momentos chatos ou com enrolação, mas já lhes aviso: Leiam o livro tendo na mente que ele é direcionado a adolescentes ok? O final do livro é meio rápido demais e algumas perguntas ficam na nossa cabeça…
Nota para o Livro (escala de 0 a 10): 7
Filme: A adaptação do livro e extremamente fiel, cortando pontos desnecessários e colocando tudo que é importante do livro no filme. Apesar de aparentemente não ter um grande orçamento e ter alguns atores muito ruins (as crianças não são bons atores.. ainda) o filme diverte.
Nota para o Filme: 6,5

2 – Harry POtter e a Câmara Secreta:
Livro: Nesse livro acompanhamos o desenrolar do segundo ano dos personagens na escola de bruxos e percebemos que a autora começa a dar maior profundidade (e personalidade) a outros personagens da série, além de realmente firmar a amizade entre Harry, Rony e Hermione como a principal da série (deixando Neville de lado, pois durante o primeiro livro você não sabia se teriamos 4 amigos ou somente dois – Harry e Rony). O Livro começa a introduzir um pouco mais de clima adulto na história, e apesar de ainda confuso e ter algumas passagens que te deixam com um ponto de interrogação na cabeça, é muito legal. O desenrolar final da história é ótimo (a autora costuma reservar mais ou menos 1/5 do livro para o desenrolar final da história, em todos livros da série).
Nota para o Livro: 7,5
Filme: O filme não consegue retratar a história tão bem como o livro, e a ambientação fica muito pesada e falsa ao mesmo tempo, culpa dos atores ainda mirins. Existem muitos pontos cortados q seriam importantes para o desenrolar da série, e em minha opinião, é o filme mais fraco.
Nota para o filme: 5

3 – Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
Livro: O foco do livro já começa a mudar, porque as crianças já estão ficando maiores e começam a entender mais das coisas. O Harry deixa de ser um moleque chato, a hermione deixa de ser chata e o Rony deixa de ser burro e a autora começa finalmente a dar contornos de série a história, deixando muitas pontas para os próximos livros (pontas intencionais, diferente das pontas dos dois primeiros livros). O Final e surpreendente (O Melhor entre todos na minha opinião), existe um grande debate em relação ao preconceito na história também. E um detalhe desse livro é que o vilão da história não é o Voldemort, como em todos os outros 6 livros da série.
Nota para o Livro: 9
Filme: O Diretor do filme mudou e, consequentemente, o foco do mesmo. A partir desse filme percebemos que a história não mais e tão fiel ao livro e cada vez mais perguntas ficam em nossa cabeça. Isso não é ruim quando levarmos em conta que não tem como filomar o livro todo, mas para quem leu os livros percebe que ele deixa muita coisa de fora e acaba colocando coisas extremamente desnecessárias. Mas de qualquer forma esse filme ainda assim é muito bom e captura toda a atmosfera do livro de uma forma muito boa, e se tornou, na minha opinião, o melhor filme da série.
Nota do Filme: 9,5

Então é isso galera.
Se possível na semana que vem continuo com a série (se conseguir ler os demais livros até lá rsrs).

Dica Músical da semana
Essa semana tenho escutado muito o Novo cd do Foo Fighters (Wasting Light). Mano, como é bom! Ta muito melhor que todos os outros cds deles, diferente de tudo que eles já gravaram ao mesmo tempo que não deixa de ser foo fighters. E falando sério, não tem como falar do cd porque não vou conseguir transmitir a vocês o quão bom ele é so com palavras. Vocês têm que escutar!!!
Faixas preferidas: Rope, Arlandria e These Days (essa é muito foda!)

Por hoje é só pessoal! Não desanimem que continuaremos a postar aqui normalmente, mesmo que não seja com uma grande constância.
Abraços





A resposta é…. 42

27 04 2011

Olá amigos!
Eu sou o Eduardo e após umas merecidas férias estamos de volta a todo vapor novamente aqui no Sem Pretensões. Ahá, você achou que tinhamos desistido finalmente de insistir no erro de postar aqui né? Pois erraram redondamente hahaha.
Hoje irei falar sobtre uma trilogia de livros que eu gosto muito e me divirto sempre que leio (já li umas 5 vezes cada um).
Falo da Trilogia O Guia dos Mochileiros das Galáxias, de autoria de Douglas Adams!
Essa controversa série de livros agrada uns e desagrada a outros na mesma proporção, visto tratar de ficção científica com humor negro e pitadas de nonsense.
A série tem como foco o personagem Arthur Dent, um humano perfeitamente normal que em uma bela manhã tem sua vida virada de ponta cabeça e enbarga em uma aventura intergalática passando pelo fim do universo e princípio da terra.
Abaixo um breve resumo dos livros:

O Guia dos Mochileiros das Galáxias:
No primeiro livro da série somos apresentados aos cinco personagens principais: Arthur Dent, Ford Prefect, Tricia McMillan, Zaphod Beeblebrox e Marvin (O melhor personagem em minha opinião).
A História começa com A demolição do planeta terra pelos Vogons, e Arthur sendo salvo por seu amigo Ford (que ele desconhecia ser um ET). A partir de então são inseridos em diversas aventuras nonsense que culminam com a visita ao Planeta esquecido de Magrathea, onde descobrem que a terra na realidade e um grande computador que foi projetado para descobrir qual a pergunta essencial da vida, o universo e tudo mais (porque a resposta eles já sabiam ser 42).

O Restaurante no fim do Universo:
Os personagens vão comer algo no restaurante no fim do universo onde presenciam o final do universo em um espetáculo repetido todos os dias. Após sairem do espetáculo roubam uma nave que está direionada a ser destruida em um sol como parte do espetáculo de uma banda. Acabam por se teletransportarem cada um para um canto, com marvin ficando para trás. Arthur e Ford são teletransportadosp ara uma nave que acaba caindo na terra pré-histórica e iniciando a colonização da mesma.

A Vida, o Universo e Tudo Mais:
Arthur e Ford estão na terra pré-histórica e ficam por ai o livro todo. No final conseguem se teletransportarem (Em um sofá) para o tempo presente da terra, alguns dias antes da destruição da mesma. Embarcam então em mais uma viagem pelo universo com o intuito de impedir que uma raça alienígena obsessiva acabe com todo o universo.

Até Logo e Obrigado pelos Peixes:
Arthur volta para a terra e volta a levar a mesma vidinha de merda que tinha, conhece uma garota, se apaixona e quando revela a ela ser um viajante espacial a mesma diz querer viajar pelo espaço com ele. Ele aceita e perde ela durante uma viagem.

Praticamente Inofensiva:
Esse livro traça meio que uma história dos personagens em um universo paralelo, onde Arthur e Tricia tem uma filha (por inseminação artificial), Arthur e Ford encontram Elvis e outras coisas estranhas acontecem.

Bem, sei que meus resumos não ficaram tãooo bons assim, mas é porque é muito difícil explicar e resumir os livros sem contar a história mesmo, pois eles são dinâmicos demais e nonsense demais também.
Recomendo essa trilogia de 5 livros para todos (mas já aviso que para quem não gosta de ficção e humor negro os livros podem ir ficando chatos, principalmente o último).
E mesmo para quem gosta pode ser difícil apegar-se a leitura, por justamente ser nonsense demais.
Aproveitem as constantes promoções dos mesmos no submarino e comprem. Será uma boa leitura!
Então é isso. ATé mais e não se esqueçam de sempre carregarem a sua toalha com vocês!

DICA DE MÚSICA:
A partir desse post irei sempre tentar dar uma dica de algo para se ouvir. Atualmente estou ouvindo o cd novo do CPM 22 (Depois de Um Longo Inverno). O cd é muito legal, mesmo sendo quase todo com SKA. Recomento uma escutada para poder ao menos conhecer esse ritmo tão bacana e que possui grande relação com o Hardcore.
Ps. Escutem e prestem atenção na Música “Filme que eu nunca Vi”. Achei ela demais, bem como quase todas as outras do CD rs

Abraços.
Att. Eduardo Ferreira





ELE ERA O HOMEM – Parte Dois

12 04 2011

Ah! meu amigo, depois de uma forçada ausência, venho aqui, novamente, para seu prazer ou não, postar! há!
Hoje, vou continuar a falar do grande mestre, o homem, o cara, o Isaac Asimov.

Isaac Asimov pode ser, em minha opinião, tido não como o pai da robótica mas, como o maior nome dela.
Quando digo robótica, incluo tudo relacionado a robôs: livros, filmes, jogos e pesquisas científicas.
Ele não criou um robô fisicamente mas, criou milhares deles na literatura e o mais interessante, ele criou a palavra ROBÔ! Sim, robô se chama robô por causa dele.
O mestre criou, não só em contos mas, em romances também, um universo extremamente consistente do qual ele se utiliza e explora fabulosamente.
Mas, você deve estar pensando que ele falava somente sobre robôs. Eu lhe digo: Não foi só sobre robôs, o cara escreveu sobre coisas pra cacete. Bom, quase 500 livros diz tudo. Pessoalmente, gosto mais dos contos que falam sobre robôs.
Acredito que ele não criou apenas histórias, ele criou também o sonho dentro da cabeça de muitas pessoas. Tá bem, dizer que criou é meio pesado, eu diria que ele espalhou o sonho por aí.

 

Obs: Se você não sabe qual a história do robô da imagem, se vira e procura no google.

Obs: Se você não conhecia o Isaac Asimov, eu tenho dó de você.

 

Até a próxima!

Att,
Rafael Padovan.





ELE ERA O HOMEM – Parte Um

1 04 2011

As Três Leis da Robótica:
1. Um robô não deve fazer mal a um ser humano ou, por inação, permitir que um ser humano sofra qualquer mal.
2. Um robô deve obedecer a qualquer ordem dada por um ser humano, desde que essa ordem não interfira com a execução da Primeira Lei.
3. Um robô de proteger a sua existência desde que esta proteção não interfira com a Primeira e Segunda Leis.

As três leis são um conceito perfeito, impossível de serem contornadas. MENTIRA!

As Três Leis da Robótica foram criadas por Isaac Asimov em uma discussão profunda sobre robótica com um de seus amigos.
Já não me lembro bem da história mas, após essa discussão, ele chegou a algo muito próximo das Três Leis.
Quando você descobre Asimov em sua vida como leitor, logo aprende estas leis e, com o passar do tempo, acha que ela é uma criação fantástica e perfeita.
Depois de algumas leituras, você percebe como Asimov consegue quebrar as Três Leis. Ele não quebra essas leis burlando-as, ele quebra as leis logicamente. Na construção de seus contos, dá para perceber, claramente, como ele manobra os personagens em uma trama perfeita, criando argumentos lógicos para outra interpretação das leis.

Agora você vai me dizer: “Pô, são robôs. Eles fazem o que são programados para fazer”. Eu lhe direi: “Não seja estúpido”.

Eu poderia lhe dar a resposta mas, não darei. Te falo o seguinte: “Leia alguns contos do homem mas, leia de verdade, busque entender, analise o enredo, analise a construção dos personagens. Você verá o brilhantismo dos contos dele e do universo que ele criou.”

FICA A DICA: Assista “Eu, Robô” mas, olhe para o Sonny e não para o Will Smith.
FICA A DICA – 2: Leia algum livro da pequena coleção Histórias de Robôs, de Isaac Asimov.
Esta coleção é uma antologia de contos sobre robótica de vários autores, incluindo claro, contos do Isaac Asimov.





A Alquimia do Amor

28 03 2011

Oiii, estou tão empolgada gente.
Acabei de ler o segundo livro que me fez chorar em minha life “Alquimia do amor – Nicholas Sparks” (o primeiro foi marley e eu). Que livro lindo gente (e surpreendente). No caso desse livro, a alquimia não se trata de um feitiço, e sim um segredo de como manter um casamento bem, não importa o tempo em que se está junto, deve-se sempre valorizar quem está ao seu lado, o seu amor, e quem te ama.
Claro, nada começa assim.
Na verdade o livro começa com o Wilson (esposo) esquecendo o aniversário de 29 anos de casado com sua esposa Jane. Ela, decepcionada, decide viajar para passar uns dias com o filho em Nova York. Nesse tempo longe Wilson começa a pensar se realmente ele foi um bom esposo durante todo esse tempo… o medo o atinge, e mesmo após 29 anos de casamento, Wilson decide correr atrás do prejuizo e mostrar para Jane o quanto ele a ama…
Não posso contar muito do livro pois tem várias surpresas legais, que fazem você (mulher tá) virar o pescocinho pro lado e fazer OWWWWWWWWWWW.
Eu adorei, aliás gosto muito dos livros desse autor, me deixam romântica =)
Att. Doritéia





Resenha/Recomendação

2 03 2011

Boa tarde queridos leitores!
Esse é meu primeiro post e, como irão perceber, ainda não sei bem ao certo como será meu estilo de escrita, sobre quais temos devo tratar e como irei tratar os mesmos (ou mesmo se existirão leitores aqui…). Dessa forma peço que, caso existam, comentem e deixem sugestões de temas e critiquem o que é escrito aqui. Prometo que assim que eu descobrir como acesso os comentários irei ler todos =)
Então, para início do Sem Pretensões, irei fazer a resenha de um livro que li recentemente e recomento muito a todos leitores que se interessam por temas de suspence/ ação/ policial. Trata-se da obra de estréia do autor italiano Giorgio Faletti: Eu Mato, publicada recentemente no Brasil pela Editora Intrínseca.


Um breve resumo do Livro:
Um Serial Killer conhecido como “ninguém” começa a agir na cidade de montecarlo, mobilizando a força policial local em sua captura e trazendo de volta a ativa um agente do FBI que ainda luta para esquecer um passado não tão remoto. O assassino, além de sempre telefonar para um programa de rádio antes de agir e passar informaçõs sutis sobre seu próximo alvo, ainda executa os seus alvos com requintes de crueldade deixando sempre uma mensagem escrita em sangue: EU MATO
Minha impressão:
Para quem acha que o tema é clichê, não caia nessa. O Livro, apesar de meio parado no início é muito bom, com muita ação, suspense e romantismo na medida certa. Pelo jeitão do livro percebe-se que o autor deve ter se inspirado nos romances de Dan Brown, pois conseguiu estrear com um trhiler policial com jeitão de blockbuster!
O único ponto negativo (Ao menos pra mim) foi o excesso de citações musicais que o livro contém. Como ponto positivo temos a narrativa extremamente envolvente e dinâmica, sendo que o autor consegue amarrar um número imenso de arestas para costurar um final fantástico. O livro é emocionante do começo ao fim (do meio para o fim eu não conseguia parar de ler, qualquer 5 minutos disponíveis que tivesse eu puxava o livro da mochila e começava a devorar!).
Então fica a recomendação para quem gosta de ler, procurem esse livro. Ótima pedida!
Até mais
Att. Eduardo Ferreira.